quarta-feira, 14 de junho de 2017

Meditação para iniciante









Aprender a meditar



Aqui estão algumas dicas para quem quer aprender a meditar. Estou buscando um pouco isso, me desestressar, aprender a relaxar e a respirar de forma certa e assim trazer um equilíbrio á minha rotina. Vivemos num mundo louco, numa corrida danada e quero aprender a manter meu equilíbrio. Confesso que não acha nada fácil ficar parada , concentrada, mas tudo é questão de tempo e vontade de aprender não é mesmo? Então lá vai algumas dicas. Espero que gostem! E aí alguém já pratica meditação? Acha fácil? Tem alguma dica?




MEDITAÇÃO PARA INICIANTE

Se está pensando em incluir a prática na rotina, apresentamos 8 dicas simples para ajudar você a começar!
1.      1- O Local
Não é sempre que estamos em uma praia ou de frente para a natureza, mas isso não quer dizer que não pode meditar. Você pode escolher um ambiente mais calmo que possa encontrar ou aquele que você ache confortável. “Para deixar o espaço ainda mais gostoso para este momento tão seu, você pode colocar alguma planta, uma vela – que te proporcionará uma luz relaxante – e, se quiser, incensos também são bem-vindos”, sugere o terapeuta holístico Bruno Gimenez.


2.      2- A Posição
Sabe as pernas cruzadas e as mãos em frente ao peito? Ela pode ser usada para meditar, mas saiba que cada um pode meditar como quiser, desde que seja uma posição confortável e que você consiga se concentrar -  e não dormir, ok? “O ideal é estar sentado e a dica é usar uma almofada firme para que te dê a sensação de estabilidade”, indica a terapeuta holística Patricia Candido.


3.       3-O Silêncio
Ele não é completamente necessário, porém, para quem está começando, um ambiente sem interrupções sonoras pode ajudar. Mas vale destacar uma dica: como estamos constantemente conectados, antes de começar a meditar, é bacana deixar de lado o computador, o celular e outros aparelhos eletrônicos e, aos poucos, desligar-se do meio externo, mesmo que por alguns minutos.


4.      4- A Respiração
O ato é involuntário e pouco exige da nossa atenção, mas para meditação, focar no ar que entra e sai é uma poderosa forma de acelerar o estado meditativo e a concentração. “O processo de meditação é também um processo de você criar uma percepção da sua respiração, é sentir o ar entrando e saindo dos seus pulmões, por isso um dos principais pontos é respirar de forma lenta”, destaca Bruno. Outro ponto positivo desse passo é que também desacelera o coração e possibilita a dissipação de tensões enquanto conduz a mente ao estado meditativo.


5.     5-  Os Exercícios
Quem dispersa muito rápido, pode se beneficiar com a meditação guiada, que traz direção à prática. Já os mantras são sons sagrados da tradição budista que, de acordo com os terapeutas, podem atrair energia de acordo com cada som, como alívio, calma, alegria, amparo, ânimo. “Não custa tentar – afinal, o mínimo que a prática poderá fazer é deixa-lo mais tranquilo e concentrado. E criar seu próprio mantra, uma frase que te incentive em momentos de dificuldades, também, são super bem-vindos!”, indica Patricia.


6.      6- A Mente Calma
Os passos acima são recomendados pois ajudam na principal vantagem da meditação: tranquilizar os pensamentos. Quando você consegue nesse patamar, através da prática regular, você pode tentar em qualquer lugar ou situação! “Entrar em um estado mental meditativo hoje em dia é uma das grandes maravilhas e um dos maiores desafios também, pois, com tantos estímulos externos, acabamos nos esquecendo da possibilidade de nos desligar e entrar em contato com nosso mundo interior”, comenta Bruno. Porém, se você não consegue se concentrar e sua mente vai até os problemas em casa ou do trabalho, saiba que é normal, principalmente para quem está começando. “Porém sempre que esses pensamentos virem à tona, retorne a atenção para o seu propósito e foque naquele momento, pois os seus problemas estarão lá quando você terminar e está muito mais relaxado para poder resolvê-los. E quanto mais você fizer esse exercício mais fácil será da próxima vez”, completa Bruno.


7.       7-O Tempo
Não vá pensando em ficar meia hora meditando logo na primeira vez. Se você ficou 1 minuto, mas conseguiu manter-se  em um estado de aquietamento, valorize. O mais importante é conseguir reservar esse momento para você, pelo menos uma vez ao dia. Quando estiver mais confortável e confiante, você pode aumentar os minutos e prolongar a prática. Para ajudar, marque um temporizador ou um aplicativo que avise a hora de retornar.


8.     8-  A Auto-Análise
Após completar o tempo de meditação, não se levante de imediato. Abra os olhos, perceba o local aonde está, analise a sua prática e assimile o que ela proporcionou. “Mexa braços e pernas devagar, alongue-se e aos poucos vá voltando a sua rotina”, completa Patricia. Você saberá se a prática foi boa conforme a sua disposição ao retornar. Se estiver mais tranquilo e concentrado, o exercício foi um bom instrumento de bem estar e auto-conhecimento.


 Fonte Revista O Poder da Meditação



Nenhum comentário:

Postar um comentário